Sociedade

ASSIM EVOLUI O NOVO CORONAVÍRUS, COVID-19, A NÍVEL NACIONAL E NO ALGARVE – DIA 04 DE MAIO DE 2020

A diretora-geral da Saúde, Graça Freitas, considerou, em conferência de imprensa, que os dados recolhidos por concelho sobre infetados com Covid-19 “são mais finos e precisos”. “O que nós fazemos no boletim é que, à medida que os concelhos nos vão dando informação, também vamos afinando a nossa e os dados que aparecem no boletim nacional por concelho vão sendo melhorados dia a dia”, explicou aquela responsável.

Já a nível nacional, os números estão “o mais próximos possível da realidade”, uma vez que são os médicos e os laboratórios de análise que notificam sobre os infetados e é feito o trabalho de juntar as duas bases de dados para não contar o mesmo doente duas vezes. O processo de recolha dos dados, que usa várias plataformas, não é automático e acontece com frequência que a morada do paciente no registo nacional do utente não corresponde, de facto, ao local onde reside, o que pode contribuir para erros. E daí poder existir discrepância entre números divulgados pelas autoridades de saúde.

De acordo com as informações do Boletim Epidemiológico da Direção-Geral da Saúde no dia 04 de Maio de 2020, o novo coronavírus, Covid-19, em Portugal, apresenta a seguinte evolução:

– Confirmados – 25.524 (mais 242 casos do que no dia 03 de Maio)

– Recuperados – 1.712 (mais 23 do que no dia 03 de Maio)

– Internados – 813 (menos 43 do que no dia 03 de Maio)

143 em Unidades de Cuidados Intensivos (menos 01 do que no dia 03 de Maio)

– Suspeitos –  254.510 (mais 1.621 do que no dia 03 de Maio)

– Óbitos – 1.063 (mais 20 do que no dia 03 de Maio)

ALGARVE

Mantém-se 333 infetados e 152 recuperados

O total de casos acumulados de infeção na região algarvia é 333 (o mesmo número do dia 03 de Maio)

Total de Óbitos – 13  

Os casos conhecidos são:

 – 1 em Portimão

 – 1 em Quarteira, no concelho de Loulé

–  3 em Boliqueime, no concelho de Loulé

 – 1 no concelho de São Brás de Alportel

–  2 em Vila Real de Santo António

 – 2 no concelho de Albufeira

–  2 no concelho de Lagoa

Faro com maior número de recuperações

Total de casos de recuperação – 152 (o mesmo número do dia 03 de Maio) 

Casos conhecidos:

– 31 no concelho de Faro

– 28 no concelho de Portimão

– 24 no concelho de Albufeira

– 22 no concelho de Loulé

– 11 no concelho de Vila Real de Santo António

– 10 no concelho de Tavira

09 no concelho de Silves

– 06 no concelho de Olhão

 -05 no concelho de Lagoa

– 02 em Lagos

– 02 no concelho de Castro Marim

– 01 no concelho de Monchique

– 01 no concelho de São Brás de Alportel

Concelhos de Loulé e Albufeira continuam os mais afetados, mas não se regista aumento de casos

Loulé (79 casos confirmados) e Albufeira (69) continuam a ser os concelhos mais atingidos no Algarve pelo novo coronavírus. As informações recolhidas indicam a seguir Faro (52), Portimão (36), Tavira (30 – revela a Câmara Municipal de Tavira em comunicado enviado aos órgãos de informação), Silves (17 – indica a presidente da Câmara Municipal de Silves, Rosa Palma), Vila Real de Santo António (também 17), Olhão (12) e Lagoa (10). Castro Marim já tem recuperados os 02 casos que existiam no concelho. E em Lagos, de acordo com a Câmara Municipal, também não há casos ativos, tendo sido já recuperados os 04 doentes, dois deles mais recentemente, que constavam dos boletins das autoridades de saúde. O concelho de São Brás de Alportel, recorde-se, apesar de contar com dois casos de infeção, um óbito e um doente recuperado, não entra nas estatísticas divulgadas pela Direção-Geral da Saúde. No concelho de Monchique, também já está recuperada a senhora que estava infetada com Covid-19. Vila do Bispo, Aljezur e Alcoutim são os únicos concelhos algarvios onde até ao momento não registaram casos do novo coronavírus.

Recorde-se que o Boletim Epidemiológico diário da Direção-Geral da Saúde indica, apenas, o “total de notificações clínicas no sistema SINAVE, correspondente a 80 por cento dos casos confirmados.” Quando os casos confirmados são “inferiores a três, por motivos de confidencialidade, os dados não são apresentados”. Daí poder existir desfasamento entre números apresentados.

Autor: José Manuel Oliveira

Deixe uma resposta