Sociedade

PONTO DA SITUAÇÃO DO NOVO CORONAVÍRUS, COVID-19, A NÍVEL NACIONAL E NO ALGARVE – DIA 17 DE ABRIL DE 2020

A Direção-Geral da Saúde apresentou, no dia 17 de Abril de 2020, o seguinte quadro sobre os casos do novo coronavírus, Covid-19, em Portugal:

– Confirmados – 19.022  (mais 181 do que no dia 16 de Abril)

– Recuperados – 519 (mais 26 do que dia 16 de Abril)

– Internados – 1.284 (menos 18 do que no dia 16 de Abril)

222 em Unidades de Cuidados Intensivos  (menos 07 do que no dia 16 de Abril)

– Suspeitos –  158.940   (mais 4.213 do que no dia 16 de Abril)

Óbitos – 657  (mais 28 do que no dia 16 de Abril)

ALGARVE

10 óbitos e 37 recuperados

O total de casos de infeção no Algarve é, agora, 305.

Total de Óbitos – 10

(Os casos conhecidos são

 1 em Portimão

 1 em Quarteira, no concelho de Loulé

 1 no concelho de São Brás de Alportel)

 2 em Vila Real de Santo António

 2 em Albufeira

 2 no concelho de Lagoa)

Total de casos de recuperação conhecidos – 37

(Os casos já conhecidos são:

– 13 no concelho de Portimão

– 02 no concelho de Tavira

– 01 no concelho de Loulé

02  no concelho de Silves

– 01 em Lagos

Albufeira continua a subir

O concelho de Albufeira subiu para 63 casos de infeção, continuando a ser o mais atingido no Algarve pela pandemia Covid-19. De acordo com as informações recolhidas, seguem-se os concelhos de Faro (58 casos), Loulé (52), Portimão (32), Tavira (35), Silves (21), Vila Real de Santo António (15), Olhão (13), Lagoa (07), Lagos (04) e Castro Marim, com três casos. São Brás de Alportel, com dois casos de infeção, não entra nas estatísticas divulgadas pela Direção-Geral da Saúde, tal como o concelho de Monchique, onde existe um caso conhecido. Por sua vez, os concelhos de Alcoutim, Aljezur e Vila do Bispo continuam sem registar qualquer caso da nova pandemia.

Recorde-se que a informação do Boletim Epidemiológico diário da Direção-Geral da Saúde indica, apenas, o “total de notificações clínicas no sistema SINAVE, correspondente a 80 por cento dos casos confirmados.” E quando os casos confirmados são “inferiores a três, por motivos de confidencialidade, os dados não são apresentados”. Daí poder haver desfasamento entre números apresentados.

Situação no Algarve é “estável e confortável”, considera Delegada Regional de Saúde, Ana Cristina Guerreiro

“Estável e confortável”. Foi desta forma que a Delegada Regional de Saúde do Algarve, Ana Cristina Guerreiro, classificou a situação da pandemia Covid-19 no Algarve, reconhecendo a existência de “alguns focos de preocupação” relacionados com imigrantes.

   Na habitual conferência de imprensa às sextas-feiras, na sede do Comando Regional de Emergência e Proteção Civil do Algarve, em Loulé, foi revelado, no dia 17/04/2020, que está a ser feita uma média de 400 análises por dia nesta região. Já foram efetuados 7.162 testes no Algarve, desde o início do surto até agora, tendo o resultado obtido sido negativo.

   Por outro lado, estão internados 24 doentes, 05 dos quais em Unidades de Cuidados Intensivos. Há 40 doentes que já tiveram alta, enquanto 411 encontram-se em vigilância ativa.

 Numa ação apoiada pelo Centro Distrital de Faro da Segurança Social, o ‘Algarve Biomedical Center’ (ABC) – Centro Académico de Investigação e Formação Biomédica do Algarve, com sede na Universidade do Algarve, em Gambelas, Faro, já efetuou 2.316 testes a utentes e funcionários em 31 lares de idosos de 12 concelhos desta região. Até agora, as análises deram resultados positivos a 37 idosos e funcionários do Lar da Santa Casa da Misericórdia de Boliqueime, no concelho de Loulé. “Todos os restantes testes feitos nos outros lares deram negativo”, garantiu o presidente da Administração Regional de Saúde (ARS) / Algarve, Paulo Morgado.

“Atingimos uma fase de planalto”, diz Paulo Morgado, presidente da ARS/Algarve

   Referindo-se à situação epidemiológica do Algarve, o presidente da Administração Regional de Saúde (ARS), Paulo Morgado, afirmou: “acho que poderemos dizer que atingimos uma fase de planalto.” E apontou para os casos inferiores a cinco por cento há algumas semanas, considerando, por isso, existir uma “fase descendente.”

   “A situação é estável, o aumento de casos que se verificou é muito ligeiro”, reforçou Paulo Morgado, insistindo numa curva descendente da pandemia. Mesmo os 10 óbitos registados até ao momento, são “um valor muito pequeno no Algarve”, considerou.

   Embora admita que o panorama geral da Covid nesta região, “é uma situação que nos tranquiliza de alguma forma”, o presidente da ARS/Algarve mostrou-se cauteloso, lembrando o “estado de emergência” em vigor no nosso país, o que obriga a regras como o “distanciamento” e outras medidas, cujo “objetivo é evitar contactos.” “Poderemos demorar alguns meses até uma vida normal”, alertou Paulo Morgado.

   Por seu turno, o Comandante Distrital de Operações de Socorro, Vaz Pinto, referiu, neste encontro com os jornalistas, que as corporações dos bombeiros e a Cruz Vermelha Portuguesa têm garantido o transporte das equipas do Centro Académico de Investigação e Formação Biomédica do Algarve (ABC – Algarve Biomedical Center), até aos lares para a realização de testes Covid-19, em articulação com o coordenador da Proteção Civil de cada município.

“Estes 15 dias são determinantes para que se possa voltar a uma vida  com a normalidade possível”, avisa o presidente da AMAL, autarca António Miguel Pina

  Já o presidente da Comunidade Intermunicipal do Algarve / AMAL, António Miguel Pina, numa alusão à renovação do estado de emergência em Portugal no dia 17 de Abril e até 02 de Maio, sublinhou que “estes 15 dias são determinantes para que se possa voltar a uma vida com a normalidade possível.” “Não é que isto está quase a acabar. Não, não é assim”, alertou.

José Apolinário, coordenador no Algarve do processo de combate à Covid-19, tomou apontamentos

   O autarca aproveitou para enaltecer a criação no Algarve do cargo de secretário-coordenador no processo da Covid-19, a exemplo de outras regiões do país, num total de cinco. “Esta organização a nível regional é muito importante”, reconheceu António Pina, destacando a figura do secretário de Estado das Pescas, José Apolinário, nomeado pelo primeiro-ministro António Costa para aquelas funções, no Algarve, a 08/04/2020. José Apolinário acompanhou a conferência de imprensa e tomou apontamentos, sentado numa cadeira perto da mesa, na qual se encontravam a Delegada Regional de Saúde do Algarve, Ana Cristina Guerreiro, o presidente da ARS/Algarve, Paulo Morgado, o presidente da AMAL, António Pina, e o Comandante Distrital de Operações de Socorro, Vaz Pinto.

Autor: José Manuel Oliveira

Deixe uma resposta