Sociedade

“SINTO-ME MUITO APREENSIVO PELO QUE SE ESTÁ A PASSAR EM ALBUFEIRA” E UM CORDÃO SANITÁRIO “ATÉ PODERIA SER A MELHOR SOLUÇÃO” PARA CONTROLAR A COVID-19

Residente neste concelho algarvio, José Bernardo Correia, de 69 anos e que se encontra em casa, com a esposa, de quarentena desde 18 de Março, alerta, ao ‘Litoralgarve’, que “há gente a chegar a toda a hora” a Albufeira e só “nesta sexta-feira de manhã a Praia dos Pescadores tinha mais de cem pessoas, muitas em grupos com mais de cinco elementos sem respeitarem as distâncias indicadas pelas autoridades de saúde”.

“Sinto-me muito apreensivo pelo que se está a passar em Albufeira. Não saio de casa desde o dia 18 de Março, para respeitar a quarentena, mas recebo diariamente telefonemas de amigos a dizerem que há gente a chegar a toda a hora a esta cidade e só nesta sexta-feira de manhã a Praia dos Pescadores tinha mais de cem pessoas, muitas em grupos com mais de cinco elementos, sem respeitarem as distâncias indicadas pelas autoridades de saúde. Tudo isto é um perigo e mesmo sem sairmos de casa, eu e a minha mulher até poderemos correr risco de ficar contaminados com o vírus quando vou à porta receber peixe e produtos de mercearia.”

Cinquenta e seis casos de Covid-19 no concelho de Albufeira

Quem o diz, em declarações ao ‘Litoralgarve’, é José Bernardo Correia, de 69 anos, aposentado e que reside com a esposa na zona da Orada, em Albufeira, sendo ambos diabéticos. O alerta deste cidadão surge numa altura em que aquele concelho já regista 56 casos confirmados com a pandemia Covid-19, sendo nesta altura o número mais expressivo entre os dezasseis municípios do Algarve. Em conferência de imprensa realizada na sexta-feira, dia 10/04/2020, no posto do Comando Regional de Emergência e Proteção Civil do Algarve, em Loulé, a Delegada Regional de Saúde, Ana Cristina Guerreiro, reconheceu que o vírus “pode estar a circular na comunidade” no caso de Albufeira, tendo sido ponderada a possibilidade de criar um cordão sanitário neste concelho, a exemplo do que existe, por exemplo, no de Ovar, onde ninguém pode entrar nem sair.

“Não existe qualquer controlo”

Sobre esse cenário, José Bernardo Correia admite, ao Litoralgarve, que “poderia até ser a melhor solução” para controlar a pandemia em Albufeira. “Sei que há muitas pessoas de Lisboa e do Norte do país, que têm segunda habitação neste concelho do Algarve e que, naturalmente, aproveitam a Semana da Páscoa para passar umas mini-férias. Não existe qualquer controlo. E também ninguém percebe o que é que essa gente vem cá fazer, numa altura em que os bares, as discotecas, os estabelecimentos de restauração, exceto serviço de ‘take-away’, e o comércio estão fechados”, sublinha aquele morador no concelho de Albufeira.

Autor:José Manuel Oliveira

Deixe uma resposta