Sociedade

JUNTA DE FREGUESIA DE SAGRES VAI DISTRIBUIR DUZENTAS VISEIRAS DE PROTEÇÃO INDIVIDUAL E ESTÁ PREPARADA PARA DAR MAIS CABAZES COM PRODUTOS DE PRIMEIRA NECESSIDADE

Cem viseiras destinam-se aos Bombeiros Voluntários de Vila do Bispo, aos militares da Guarda Nacional Republicana e aos profissionais do Centro de Saúde, revelou, ao ‘Litoralgarve’, o autarca Luís Miguel Paixão. As outras cem são para os comerciantes de Sagres.

SIC Notícias | Politécnico do Porto produz viseiras de proteção ...

A Junta de Freguesia de Sagres tem duzentas viseiras de proteção individual para distribuir pelos comerciantes, Bombeiros Voluntários de Vila do Bispo, militares da Guarda Nacional Republicana e no Centro de Saúde. Ao mesmo tempo, está preparada para entregar cabazes com produtos alimentares e outros bens de primeira necessidade a quem necessitar nesta fase crítica resultante do período de quarentena imposto pelo Estado de Emergência em Portugal, na sequência da pandemia do novo coronavírus, Covid-19.

    “Temos duzentas viseiras de proteção. Cem destinam-se à Guarda Nacional Republicana, aos Bombeiros Voluntários de Vila do Bispo e ao Centro de Saúde. As outras cem são para os comerciantes de Sagres. Já distribui algumas aos vendedores do mercado”, disse, ao ‘Litoralgarve’, o presidente da Junta de Freguesia de Sagres, Luís Miguel Paixão.

 “Estamos preparados para distribuir os cabazes que forem necessários, num trabalho de articulação entre a Junta de Freguesia de Sagres, a Câmara Municipal de Vila do Bispo e a Santa Casa da Misericórdia do concelho”

 

A imagem pode conter: Luís Miguel Paixão

O autarca está, igualmente, disponível para distribuir cabazes com produtos alimentares e outros bens de primeira necessidade a quem estiver em dificuldades nesta fase crítica, resultante da paralisação da atividade económica imposta como medida de precaução devido ao novo coronavírus, Covid-19. “Além dos cabazes correntes, num total de 14, que costumamos dar às pessoas mais necessitadas desta freguesia, estamos preparados para distribuir os cabazes que forem necessários nesta fase, num trabalho de articulação entre a Junta de Freguesia de Sagres, a Câmara Municipal de Vila do Bispo e a Santa Casa da Misericórdia do concelho”, sublinhou o autarca.

“Ambiente de alarme, suspeita e medo”

Por outro lado, no dia (09/04/2020), em que através da rede social ‘Facebook’ surge o apelo: “Senhor Presidente da Junta de Freguesia de Sagres, feche a entrada de Sagres”, Luís Miguel Paixão considerou, em declarações ao ‘Litoralgarve’, tratar-se de “alarmismo” e um sentimento de “medo”, devido à Covid-19, numa altura em que o concelho de Vila do Bispo é um dos três do Algarve, com Aljezur e Alcoutim, sem registo de qualquer caso de contágio.

  “É um ambiente de alarme, de suspeita e de medo. Há muita gente que cá está e que é de fora, embora o movimento nesta Semana na Páscoa nada tenha a ver com o que se registava noutros anos. Os restaurantes estão fechados e as pessoas de Sagres têm respeitado este período de quarentena, com calma, nas suas casas. A pesca lúdica também está proibida nesta altura. Não tenho visto muita gente em Sagres”, referiu o autarca, que, no entanto, desconhece a utilização de unidades de alojamento local por visitantes. “Não sei, mas é capaz de haver”, notou.

“Tenho visto no Facebook algumas publicações e comentários a pedir para a Junta de Freguesia fechar o acesso a Sagres. Por favor, não peçam ao presidente da Junta aquilo que ele não pode fazer”

Nenhuma descrição de foto disponível.

Já na página no ‘Facebook’ da Junta de Freguesia de Sagres, Luís Miguel Paixão escreveu: “Tenho visto no Facebook algumas publicações e comentários a pedir para a Junta de Freguesia fechar o acesso a Sagres. Por favor, não peçam ao presidente da Junta aquilo que ele não pode fazer. Uns pedem porque é o que lhes vai na alma, é o que sentem, eu também o sinto algumas vezes, outros fazem-no só para obter uns likes.

Peçam à Junta de Freguesia para fazer aquilo que ela pode:

– Peçam para a Junta de Freguesia ir, com a ajuda da sua equipa de voluntários, fazer as compras do supermercado ou da farmácia do seu vizinho ou conhecido, idoso ou com pouca mobilidade.

– Peçam apoio à Junta de Freguesia, porque o seu vizinho ou conhecido, está desempregado e não tem dinheiro para comprar comida e tem vergonha de pedir. Sim, porque os que mais precisam são aqueles que, por vezes, menos pedem.

– Peçam para a Junta de Freguesia distribuir viseiras de protecção individual aos funcionários dos estabelecimentos comerciais que prestam serviços de primeira necessidade ou outros serviços considerados essenciais.

– Peçam à Junta de Freguesia para aconselhar a não concentração de pessoas na via publica.

– Peçam à Junta de Freguesia para recomendar a todos os cidadãos do cumprimento do dever geral do recolhimento domiciliário.

– Informem a Junta de Freguesia dos estabelecimentos comerciais que estão a funcionar e que deviam estar encerrados ou que podem estar a funcionar, mas não o estão a fazer nos termos da lei.

– Informem a Junta de Freguesia, quando tiverem a certeza, que um cidadão de nacionalidade não portuguesa chegou a Sagres durante o estado de emergência e está alojado numa casa ao lado da sua.

– Informem a Junta de Freguesia, quando tiverem a certeza, que um cidadão de nacionalidade portuguesa chegou a Sagres, vindo de outro concelho, entre o dia 09 e o dia 13 de abril e está alojado numa casa ao lado da sua.

SEJA UM AGENTE DE SAÚDE PÚBLICA”

Autor: José Manuel Oliveira

Deixe uma resposta