Social-democrata José Carlos Rolo, presidente da Câmara Municipal de Albufeira, é um dos cinco arguidos em investigação e buscas da PJ

 Operação ‘Empório’ aponta para suspeita de crimes de corrupção de corrupção passiva e ativa, participação económica em negócio, fraude fiscal, prevaricação e abuso de poder são os indícios da Operação Criminalidade Económica-Financeira «Empólio»

Uma operação desencadeada logo pela manhã desta quinta-feira, dia 05 de Março, pela Polícia Judiciária (PJ) com buscas na Câmara Municipal de Albufeira, entre outros locais, levou à constituição de cinco arguidos. Segundo apurou o ‘Litoralgarve’, o processo envolve o presidente do executivo municipal, José Carlos Rolo (PSD), e promotores imobiliários, pelo menos, devido a suspeita pela prática de crimes de corrupção passiva e ativa, participação económica em negócio, fraude fiscal, prevaricação e abuso de poder.

Esse foi o resultado da Operação ‘Empório’ desencadeada pela PJ, através da Diretoria de Faro, no âmbito de uma investigação em curso, tutelada pelo DIAP – Departamento de Investigação e Ação  Penal, de Évora, com “buscas domiciliárias e não domiciliárias, na autarquia de Albufeira, em duas sociedades em Lisboa e Leiria, bem como em escritório de advogado”, refere um comunicado enviado,  às 17h02m, pelo Gabinete de Imprensa daquela instituição, aos órgãos de informação.

As referidas diligências foram presididas por um Juiz de Instrução Criminal e três Procuradores da Republica, tendo participado na operação 40 investigadores e peritos da Policia Judiciária. “Em causa estão suspeitas de crimes de corrupção passiva e ativa, participação económica em negócio, fraude fiscal, prevaricação e abuso de poder”, salienta o comunicado, adiantando terem sido “constituídos cinco arguidos.” A investigação prossegue “para determinação de todas as condutas criminosas, benefícios ilícitos, respetivos agentes e outros comparticipantes”, acrescenta a PJ.

“Denúncia anónima contra eleitos e funcionários”, refere a Câmara de Albufeira, garantindo “total disponibilidade” para colaborar com as autoridades na investigação

Pelas 16h14m, a Câmara Municipal de Albufeira, através do Gabinete de Apoio ao Presidente, enviou um comunicado contendo quatro pontos, relativamente à investigação policial «Criminalidade Económica-Financeira – Operação Empório». 

“Em resposta às diversas solicitações de órgãos de Comunicação Social e cumprindo o seu dever de transparência, a Câmara Municipal de Albufeira  informa:

  1. Na sequência de uma denúncia anónima contra eleitos e funcionários do Município de Albufeira, durante o dia de hoje, 5 de março, esteve presente no Edifício dos Paços do Concelho uma equipa de inspetores da Polícia Judiciária, munida do competente auto de busca;
  • No decorrer das diligências foram solicitados diversos documentos relativos à atividade da autarquia bem como comunicações eletrónicas – elementos que foram prontamente cedidos pelos serviços;
  • Foram ainda integralmente respondidas todas as questões formuladas pelos inspetores;
  •  A Câmara Municipal de Albufeira declara a total disponibilidade para colaborar sempre com as Autoridades e reitera a sua confiança em todos os elementos que compõem o Executivo Municipal, Gabinete de Apoio e Serviços Camarários.”

De acordo com informações recolhidas pelo «Litoralgarve», além do presidente da Câmara Municipal de Albufeira, José Carlos Rolo, e de outros autarcas, pelo menos, foram também constituídos arguidos promotores imobiliários. Em causa estarão   licenciamentos e suspeitas de subornos, entre outras irregularidades, relacionados com vários processos, segundo apurámos.

“Tem uma ótima imagem junto da população”

“Levaram dossieres de vários armários e estantes”, contaram ao «Litoralgarve». Entretanto, o presidente José Carlos Rolo, que não quis falar aos jornalistas, respondeu às questões colocadas pelos investigadores e até prescindiu da presença de advogado, de acordo com informações recolhidas. “Não tem nada a temer”, garantiu fonte próxima do principal responsável pelo executivo municipal albufeirense.

A notícia sobre as buscas na Câmara de Albufeira e o facto de o presidente José Carlos Rolo ter sido constituído arguido acabou por surpreender muita gente nesta cidade. “Ele tem uma ótima imagem junto da população e sempre foi visto como um indivíduo muito organizado nos serviços do município”, afirmou ao «Litoralgarve» quem o conhece bem.

“Efeitos negativos a cerca de um ano e meio das próximas eleições autárquicas”

 Já outras pessoas, com que contactámos e que  pedem o anonimato, admitem que esta investigação da PJ e as suspeitas que agora incidem na Câmara  Municipal de Albufeira, “terão, naturalmente, efeitos negativos  na imagem política” do presidente, “a cerca de um ano e meio das próximas eleições autárquicas.” “Quem poderá aproveitar esta situação é o antigo presidente da Câmara, Desidério Silva, que há muito tempo anda por aí com fotos a indicar o que fez e o que faria se estivesse na autarquia”, notou um munícipe.

Nasceu no Alentejo e foi professor de Matemática e diretor

da Escola Secundária de Albufeira

Recorde-se que José Carlos Martins Rolo, ex- professor de Matemática e diretor da Escola Secundária de Albufeira, foi vereador e vice-presidente do executivo municipal, tendo assumido a presidência da Câmara no dia 02/11/2002, quando substituiu no cargo Desidério Silva, eleito na altura presidente da então Entidade Regional de Turismo do Algarve. Depois de ser eleito, de novo, vereador da Câmara Municipal de Albufeira, nas listas do PSD liderada pelo advogado Carlos Silva e Sousa, em 2013 e  2017, José Carlos Rolo acabou por assumir no dia 23/02/2018, novamente a  presidência do executivo municipal, na sequência do falecimento de Carlos Silva e Sousa. 

Natural de Domingos de Vinha, do concelho de Gavião, José Carlos  Martins Rolo tem 64 anos (nasceu no dia 30/01/1956) e reside em Albufeira desde 1982.  É licenciado em Matemática pela Faculdade de Ciências da Universidade de Lisboa e mestre na área da gestão e políticas públicas pelo Instituto Superior de Ciências Sociais daquela universidade. 

PUBLICIDADE