Os 10 jogadores com mais jogos pelo Armacenenses no Campeonato de Portugal

Fundado a 6 de setembro de 1935 por pequenos comerciantes, lavradores, residentes na povoação e pescadores proprietários, o Clube de Futebol «Os Armacenenses» tem vivido o melhor período da sua história desportiva nos últimos anos.
Depois de largos anos nos campeonatos distritais da AF Algarve, a formação de Armação de Pera ascendeu ao Campeonato de Portugal e desde então que se tem mantido com grande dignidade no terceiro escalão do futebol português, tendo como melhores registos o sétimo lugar (em 16 equipas) na Série E em 2017-18 e a oitava posição (em 18 equipas) na Série D na temporada seguinte.

Pujante como nunca, até porque a sua sede social é uma referência na vila e desde 2014 que usufrui do recém-construído Estádio Municipal de Armação de Pêra, o Armacenenses vai para a quinta participação no Campeonato de Portugal.
No total, 96 futebolistas jogaram pelo emblema algarvio no Campeonato de Portugal. Vale por isso a pena recordar os dez que o fizeram por mais vezes.

10. Marquinho (38 jogos)

Marquinho

Lateral direito natural de Portimão e formado no Portimonense, fez grande parte da carreira nos distritais da AF Algarve, em clubes como Algarve United, Monchiquense, Alvorense, Guia e Odiáxere, tendo reforçado o Armacenenses no verão de 2013.Em 2015-16 conquistou o título distrital e na época seguinte estreou-se nos campeonatos nacionais, à beira dos 31 anos, tendo atuado em 28 jogos (26 a titular).Nas duas temporadas seguintes perdeu espaço, não indo além dez encontros (nove a titular) nesse período, tendo deixado de jogar futebol em 2019.

9. Ivan Silva (38 jogos)

Ivan Silva

Disputou 38 jogos tal como Marquinho, mas amealhou mais 255 minutos em campo – 3255 contra 3000.Lateral de origem angolana, mas nascido em Faro, jogou em países como Noruega, Angola, Grécia e Islândia e em clubes do sul de Portugal como Quarteirense, Quarteira, Lagoa, Louletano, Castrense e Almancilense antes de reforçar o Armacenenses em janeiro de 2018.Até ao final dessa temporada foi a tempo de disputar 14 jogos, todos na condição de titular.Depois passou por Olhanense e Oleiros, tendo regressado a Armação de Pera em 2019-20, tendo atuado em 24 partidas (em 25 possíveis) até à paragem do campeonato devido à covid-19.

8. Tommy (45 jogos)

Tommy Batista

Extremo inglês, mas desde tenra idade radicado no Algarve, concluiu a formação no Portimonense e fez a estreia no futebol sénior nos distritais da AF Beja, com a camisola do Renascente São Teotónio.Entretanto passou pelo futebol sueco e pelo Esperança de Lagos, tendo rumado ao Armacenenses no verão de 2018. Durante as duas temporadas que passou em Armação de Pêra nem sempre foi titular, mas foi sempre bastante utilizado, tendo amealhado 45 jogos, entre os quais 22 no onze inicial, e apontado três golos – Ferreiras e Olímpico Montijo em 2018-19 e Oriental na época seguinte foram as vítimas de Tommy Batista.m 2020-21 vai voltar aos distritais algarvios para representar o Odiáxere.

7. Leandro Ari (45 jogos)

Leandro Ari

Disputou 45 jogos tal como Tommy, mas amealhou mais 663 minutos em campo – 2749 contra 2086.Lateral/médio que dividiu a formação entre Imortal e Portimonense, fez a estreia no futebol sénior ao serviço do Ferreiras nos distritais da AF Algarve em 2016-17 e na época seguinte deu o salto para o Campeonato de Portugal pela porta do Armacenenses.A primeira temporada em Armação de Pêra serviu para se adaptar ao contexto competitivo, tendo atuado em 18 jogos (11 a titular), mas em 2018-19 afirmou-se em definitivo, ao participar em 27 encontros (22 a titular) e marcar dois golos, frente a Vasco da Gama da Vidigueira e Amora.Depois transferiu-se para o Louletano, clube que vai continuar a representar em 2020-21.

6. Yaggo Gomes (52 jogos)

Yaggo Gomes

Extremo/ponta de lança brasileiro que começou a jogar futebol no Flamengo, está radicado desde tenra idade no Algarve, onde tem feito grande parte da carreira.Depois de passagens por Louletano, Lagoa, Faro e Benfica, Lusitano VRSA, Ferreiras e Castrense, mudou-se de Castro Verde para Armação de Pêra em dezembro de 2017.Até ao final dessa época foi a tempo de participar em 13 jogos (seis a titular) e marcar dois golos, diante de Moura e Olhanense.Na temporada seguinte voltou a alternar entre o onze inicial e o banco de suplentes, tendo atuado em 32 partidas, metade como titular e outra metade como suplente utilizado, e apontado dez golos, frente a PinhalnovenseOriental (dois), Sacavenense, Casa PiaAmoraMoura (dois), Ferreiras e 1º Dezembro.Entretanto rumou ao Rabotnicki, da I Divisão da Macedónia, mas regressou ao Armacenenses em janeiro de 2020, a tempo de disputar sete partidas (cinco a titular) e marcar dois golos, diante de Louletano e Sintra Football, até à paragem das competições devido à pandemia de covid-19.“Os Armacenenses é um clube organizado e cumpridor, que está a crescer a cada ano que passa e estão a fazer que as coisas cresçam e possam se afirmar nos nacionais e futuramente pensar em algo mas sério”, afirmou ao portal Futebol Épico em dezembro de 2018.

5. Siriki Camará (52 jogos)

Siriki Camará

Disputou 52 jogos tal como Yaggo Gomes, mas amealhou mais 480 minutos em campo – 3338 contra 2858.Extremo ponta de lança costa-marfinense, mas há bastantes anos radicado em Portugal, passou por clubes das regiões norte e centro, como Académica (juniores), Gil Vicente (juniores), Anadia, Nogueirense, Mirandela, Moimenta da Beira e Gondomar antes de rumar ao sul para representar o Armacenenses.Na primeira época nos azuis, em 2018-19, disputou 31 jogos (25 a titular) e apontou quatro golos, diante de LouletanoMoura, Redondense e Angrense.Na temporada seguinte perdeu espaço, não indo além de 21 encontros (nove a titular) e dois remates certeiros, frente a Mineiro Aljustrelense e Pinhalnovense.Em 2020-21 vai estar ao serviço do recém-promovido Moura.
https://www.youtube.com/embed/ceqLbCXEc2k

4. Elvis Mendes (58 jogos)

Elvis Mendes

Lateral esquerdo cabo-verdiano, mas há muito radicado em Portugal, chegou a Armação de Pêra no seu segundo ano de sénior, em 2017-18, após ter despontado no Gouveia.Em duas temporadas no clube, foi sempre dono e senhor do lado esquerdo da defesa do Armacenenses, tendo disputado 29 jogos tanto na primeira como na segunda época no clube e marcado um golo ao Praiense em 2018-19. Pelo meio, tornou-se internacional sub-20 por Cabo Verde e chegou a ser chamado à seleção principal.Após dois anos nos azuis chegou a ser apontado ao Portimonense, mas acabou por rumar ao Louletano, onde tem sindo mais dificuldades em impor-se. Ainda assim, continuará em Loulé em 2020-21.

https://www.facebook.com/watch/?v=472729616565008

3. Márcio Meira (63 jogos)

Márcio Meira

Médio ofensivo nascido em Guimarães, mas desde os 17 anos no sul do país após ter sido colocado no curso de Desporto da Universidade do Algarve, passou pelos juniores do Farense e pelos seniores do 11 Esperanças, Lusitano VRSA e Louletano antes de reforçar o Armacenenses no verão de 2017.Em Armação de Pêra assinou duas temporadas bastante positivas. Em 2017-18 atuou em 30 jogos (27 a titular) e marcou três golos, frente a Operário, Olímpico Montijo e Pinhalnovense.Na época seguinte explodiu: 33 encontros (30 a titular) e nove golos, um registo assinalável para um centrocampista, que faturou diante de Vasco da Gama da Vidigueira, Oriental, Sacavenense, Sp. Ideal (dois), Redondense, Casa Pia (dois) e Olhanense. Na Taça de Portugal também fez o gosto ao pé, marcando no duelo com o primodivisionário Vitória de Setúbal. “Foi uma época muito positiva, pois conseguimos cumprir os objetivos propostos de forma tranquila e sem sobressaltos. Foi a época em que o clube obteve a maior pontuação desde que se encontra neste Campeonato. Fizemos também história ao chegar à 3.ª Eliminatória da Taça de Portugal, onde, pela primeira vez, o clube defrontou uma equipa da I Liga”, resumiu em conversa com o portal Conversas Redondas.As boas campanhas valeram-lhe o salto para o Gil Vicente, mas foi rapidamente dispensado pelo emblema de Barcelos, tendo rumado depois ao Real SC. Em 2020-21 terá a primeira aventura no estrangeiro ao serviço do Ermis Aradippou.

https://www.facebook.com/watch/?v=301198607242436

2. Pedro Rodrigues (69 jogos)

Pedro Rodrigues

Jogador polivalente, que atua preferencialmente como extremo, fez toda a formação no Portimonense ao lado de jogadores como Vítor Gonçalves, Wakaso ou Fábio Nunes, mas quando subiu a sénior não teve a mesma sorte dos ex-companheiros e de equipa e teve de começar nos distritais.Passou por Guia, Lagoa, Quarteirense, Moncarapachense e Castrense antes de reforçar o Armacenenses em novembro de 2017, indo a tempo de disputar 15 jogos (três a titular) e marcar dois golos, diante de Louletano e Castrense.Nas duas épocas que se seguiram conquistou a titularidade e assumiu um papel importante na equipa, tendo atuado um total de 54 partidas (50 a titular) e apontado quatro golos. Olímpico Montijo em 2018-19 e AlvercaLouletano e Sintra Football na temporada seguinte foram as vítimas de Pedro Rodrigues, também conhecido por Farçolas.Após dois anos e meio em Armação de Pêra vai mudar-se para o Esperança de Lagos.

1. Bruno Costa (71 jogos)

Bruno Costa

Guarda-redes natural de Ferreiras que passou pela formação do Benfica e chegou a ser convocado para a equipa principal em 2005-06 e 2007-08. Sem espaço na Luz, teve de fazer carreira nas divisões secundárias, tendo passado por clubes como OdivelasOriental, Atlético Reguengos, Fátima, Operário e Ferreiras, além de ter jogado na II liga romena com a camisola do Otopeni e na II Divisão B espanhola ao serviço do Badajoz.Numa fase em que já tinha regressado ao Algarve, reforçou o Armacenenses no início da época 2016-17, a primeira do clube no Campeonato de Portugal, tendo disputado 28 jogos e sofrido 46 golos, ajudando a assegurar a permanência.Na temporada seguinte dividiu a titularidade com João Azul, não indo além de 14 encontros e 11 golos sofridos.Em 2018-19 foi a vez de Luís Pedrosa não lhe dar descanso, pelo menos até dezembro, quando o concorrente rumou ao Louletano, tendo atuado em 19 partidas e sofrido 21 golos no campeonato.Na época que se seguiu Luís Pedrosa voltou a Armação de Pêra e os dois guardiões dividiram a titularidade, embora Bruno Costa tivesse defendido a baliza em apenas dez jogos e sofrido 19 golos.

Autor: David Pereira

PUBLICIDADE