Sociedade

COVID-19 – JÁ NÃO HÁ DOENTES INTERNADOS NOS CUIDADOS INTENSIVOS DOS HOSPITAIS PÚBLICOS DO ALGARVE

O relatório da situação epidemiológica  na região algarvia, às 00h00 do dia 05 de Junho de 2020, de acordo com os dados fornecidos pela Autoridade de Saúde Regional, aponta 299 pessoas recuperadas, quatro internados e 62 casos positivos no domicílio. Sete por cento da população residente no Algarve já foi submetida a testes ao novo coronavírus, revela o secretário de Estado José Apolinário.

Continua a evoluir favoravelmente a situação epidemiológica no Algarve, destacando-se o facto de 67 pessoas já terem obtido alta hospitalar e de não haver, neste momento, qualquer doente com Covid-19 internado nos cuidados intensivos, além de se registarem 299 casos de recuperação.

O relatório da Comissão Distrital de Proteção Civil de Faro, elaborado às 00h00 a 05 de Junho de 2020, de acordo com os dados fornecidos pela Autoridade de Saúde Regional, revela a existência de 04 internados, 62 casos positivos no domicílio e 136 contactos em vigilância ativa. A essas situações, juntam-se 381 casos confirmados com o novo coronavírus, acumulados desde o início da pandemia, 28.445 casos não confirmados (cumulativo) e 299 pessoas recuperadas, o que corresponde a 78,5 por cento. O número de óbito passou para 16.

Mais 3.071 casos não confirmados no Algarve e mais 37 pessoas em vigilância ativa por parte das autoridades de saúde

Em comparação com o ponto de situação divulgado há uma semana, no dia 29 de Maio de 2020, existe menos um internado, deixou de haver doentes em Unidades de Cuidados Intensivos dos hospitais públicos do Algarve e mantém-se o mesmo número de casos positivos (62) no domicílio. Enquanto isso, regista-se agora uma subida de 37 contactos em vigilância ativa pelas autoridades de saúde e, também, mais 14 casos confirmados acumulados do novo coronavírus. E verifica-se o aumento de 3.071 casos que não se confirmaram. Já em relação ao total de doentes recuperados, no espaço de uma semana houve uma ligeira subida de 0,8 por cento.

Delegada de Saúde Regional e presidente da ARS Algarve destacam fase “estável”, mas com o novo alerta para “atitude responsável” das pessoas durante o período de desconfinamento

“Estamos numa fase estável”, reconheceu a Delegada de Saúde Regional, Ana Cristina Guerreiro, na habitual conferência de imprensa quinzenal realizada na sexta-feira, dia 05 de Junho de 2020, nas instalações do Comando Regional de Emergência e Proteção Civil do Algarve, em Loulé, admitindo, no entanto, “preocupações” devido ao aumento do número de casos de Covid-19 confirmados na última semana, “dado o desconfinamento.”

Também o presidente do Conselho Diretivo da Administração Regional de Saúde (ARS) do Algarve, Paulo Morgado, neste encontro com os jornalistas, reforçou a “situação de estabilidade” nesta região, apelando ao mesmo tempo, e uma vez mais, a uma “atitude responsável” por parte das pessoas, “com respeito pelas regras de distanciamento social.” “É fundamental o cumprimento das regras. Se todos cumprirem o que está determinado, teremos menos trabalho a controlar” a situação, sublinhou Paulo Morgado.

4.040 testes a funcionários de 197 creches, de unidades do ensino pré-escolar e de centros de atividades ocupacionais

Segundo o relatório, na sequência do protocolo celebrado entre o Ministério do Trabalho, Solidariedade e Segurança Social e o Algarve Biomedical Center (ABC), com sede em Faro, foram concluídos os testes a lares de idosos, que se realizaram entre 30 de Março e 28 de Maio, num total de 112 estabelecimentos nos 16 concelhos da região. O plano contemplou 8.373 testes, dos quais 271 foram re-testes, a utentes e a funcionários dos lares de idosos. Em simultâneo, foram igualmente testados 4.040 (mais 1.879) funcionários de 197 (mais 66) creches, estabelecimentos do ensino pré-escolar e de centros de atividades ocupacionais, durante o período de 04 de Maio a 01 de Junho, nos 16 concelhos do Algarve.

“Sete por cento da população residente foi testada”, revelou aos jornalistas o secretário de Estado, José Apolinário, coordenador na Região do Algarve da Execução da Declaração da Situação de Calamidade.

Menos camas e menos unidades hoteleiras e militares de reserva

Por outro lado, no tocante às Zonas de Apoio à População (ZAP), validadas pelas autoridades de saúde e instaladas em toda a região algarvia, existem agora 61 estruturas (menos 04 do que há uma semana) com a capacidade total de 3.158 camas (menos 232) de três tipologias – Isolamento profilático, Quarentena e Reserva Social, neste caso para apoio a lares de idosos. Nesta altura, estão acionadas para quarentena/isolamento profilático apenas duas (menos uma em relação à passada semana) Zonas de Apoio à População nos concelhos de Albufeira e Tavira. A que havia em Portimão, já não consta do relatório.

Relativamente a unidades hoteleiras e militares em reserva, também validadas pelas autoridades de saúde nos 16 concelhos do Algarve, para doentes com Covid-19, o documento indica que estão, agora, disponíveis “55 Estruturas, com capacidade de 1.459.” Dessa forma, com menos 41 estruturas, passou a haver também menos 517 camas disponíveis para este plano regional.

Forças Armadas realizam ações de sensibilização e demonstração de boas práticas de higiene, aos funcionários dos estabelecimentos prisionais de Olhão, Faro e Silves

O pavilhão do Sporting Clube Farense mantém 50 camas de reserva para apoio ao Hospital de Faro. Ao mesmo tempo, o Pavilhão Desportivo Municipal da Penha, na capital algarvia, e o Portimão Arena, espaço de multiusos situado no Parque de Feiras e Exposições nesta cidade, continuam preparados para a eventual necessidade de funcionarem como hospitais de campanha para doentes vítimas do novo coronavírus.

Por outro lado, as Forças Armadas levaram a efeito, nos dias 03 e 04 de Junho, ações de sensibilização e demonstração de boas práticas de higiene, descontaminação e desinfeção, aos funcionários dos estabelecimentos prisionais de Silves, de Faro e de Olhão.

Autor: José Manuel Oliveira

Deixe uma resposta