Entrevistas

ISILDA GOMES, PRESIDENTE DA CÂMARA MUNICIPAL DE PORTIMÃO, AO LITORALGARVE: “MESMO OS RESTAURANTES QUE NÃO TINHAM ESPLANADA, PODERÃO VIR A TER E NÃO PAGAM NADA ATÉ 31 DE DEZEMBRO”

Em entrevista ao Litoralgave, no domingo, após uma visita com o secretário de Estado José Apolinário, ao pavilhão multiusos Portimão Arena, onde está instalado um hospital de campanha, pelo menos até durante o próximo Verão, como medida preventiva face ao desenvolvimento da pandemia da Covid-19, Isilda Gomes, presidente da Câmara Municipal de Portimão, apontou o alargamento das esplanadas, e gratuitas, como solução para restaurantes e pastelarias no concelho, de forma a compensar a redução dos lugares no interior, e garantiu que os estabelecimentos comerciais “reúnem todas as condições de segurança.” Já no tocante às praias e depois de garantir que “está tudo em aberto” no concelho de Portimão, em jeito de recado ao previsto controlo policial, das Forças Armadas e de drones no areal, reagiu: “As pessoas querem ir à praia para se distrair e para descansarem.”

Litoralgarve – Como encara a reabertura dos restaurantes no concelho de Portimão, a partir da próxima semana, após o período de confinamento devido à pandemia do novo coronavírus, Covid-19?

Isilda Gomes – As regras já saíram relativamente à abertura dos restaurantes. E agora, a única coisa que os restaurantes têm de fazer é cumprir essas regras. Cumpridas essas regras, emanadas pela Direção-Geral da Saúde, certamente as pessoas poderão ir em segurança almoçar e jantar aos nossos restaurantes. Para minimizar o impacto criado pelas restrições em função da segurança das pessoas, permitimos o alargamento das esplanadas dos restaurantes e das pastelarias. E mesmo os restaurantes que não tinham esplanada, poderão vir a ter e não pagam nada até 31 de Dezembro. Portanto, as esplanadas em Portimão já são e vão continuar gratuitas até 31 de Dezembro.

Com o aumento das esplanadas, tal permite de certo modo colmatar o défice que vão ter, também, no interior dos restaurantes. A única coisa que tem de ser verificada é que não há nenhum problema quanto à Proteção Civil e quanto à segurança com o alargamento das esplanadas. Isso é o que podemos fazer e dizer.

De resto, também já entregámos um kit a cada um dos empresários, sejam da restauração, sejam empresários do comércio tradicional. É um kit contendo viseiras, álcool gel, uma dúzia de luvas e uma dúzia de máscaras. E com isto já distribuímos 2.000 kits a pequenos e médios empresários. É uma pequena ajuda, obviamente, mas é aquilo que podemos fazer de momento.

“O comércio não está famoso, nem esperávamos isso na primeira semana de abertura”

Imagem de Arquivo Av. Tomás Cabreira

Litoralgarve – Os estabelecimentos comerciais abriram na passada semana. Como tem sido esta fase de desconfinamento?

Isilda Gomes – Quanto ao comércio, que já abriu, tenho falado com as pessoas. Não está famoso, nem esperávamos isso na primeira semana de abertura. Agora, o que posso garantir é que estão verificadas todas as condições de segurança dentro dos estabelecimentos comerciais. Eu própria já entrei em vários e vi que têm todos os meios que lhes são exigidos. Portanto, não há razão para as pessoas não irem ao comércio, não há razão para as pessoas deixarem de ir aos restaurantes a partir do momento em que abram, sendo certo que o que temos de ter é essa responsabilidade de cumprir aquilo que são as regras. E com essa responsabilidade, naturalmente nós ganhamos confiança e aos poucos a economia vão retomando.

“Com as entidades responsáveis encontraremos sempre as melhores soluções para cada praia”

Litoralgarve – E a partir do dia 01 de Junho, com o início da época balnear, como irá ser? Cada praia do concelho de Portimão terá o seu próprio plano em função das suas características, como se fala?

Isilda Gomes – Sobre as praias, neste momento não vou falar, porque estão para sair as regras. Quando saírem, naturalmente analisaremos e com as entidades responsáveis encontraremos sempre as melhores soluções para cada praia.

Litoralgarve – Forças de segurança, militares, fiscais das câmaras municipais, drones a controlar a distância entre as pessoas nas praias. Como vê essa situação?

Isilda Gomes – Está tudo em aberto. Vamos aguardar pela definição das regras de segurança emanadas pela Direção-Geral da Saúde e a partir desse momento começaremos a trabalhar para que todos os nossos concidadãos possam ir à praia com tranquilidade, sem estarem com o pensamento no vírus. As pessoas querem ir à praia para se distrair e para descansarem. E é isso que todos nós pretendemos; é criar condições de segurança para que as pessoas tenham confiança quando frequentam um determinado espaço.

Imagem de Arquivo da Praia da Rocha

Edifício do Teatro Municipal de Portimão (TEMPO), pavilhões desportivos e polidesportivos funcionarão com lugares marcados para animação no Verão

Litoralgarve – Vai haver animação durante o Verão?

Isilda Gomes – Vai haver alguma animação e, sobretudo, ‘indoor’, quando for possível garantir o número de lugares que será aprovado, obviamente. E aí, em função do número de lugares, escolheremos os espaços onde faremos alguma animação. Já estamos a projetar alguma.

Litoralgarve – E em que locais?

Isilda Gomes – Estamos a falar do TEMPO (edifício do Teatro Municipal de Portimão), de pavilhões gimnodesportivos, de polidesportivos, onde, de facto, é possível termos um número de lugares marcado.

Litoralgarve – E quantos lugares poderão ser marcados em cada um desses edifícios?

Isilda Gomes – Neste momento, não posso dizer ainda.

Litoralgarve – Vai haver alguma viatura a fazer animação na rua, como também se tem falado?

Isilda Gomes – Está tudo neste momento em aberto. Estamos a construir a animação do Verão. As coisas mudam muito rapidamente. Até Junho, naturalmente não irá haver nada.

“Não vêm os turistas estrangeiros” (…) “mas contamos com os turistas portugueses”

Litoralgarve – Como perspetiva o mês de Agosto? Espera menos turistas no concelho de Portimão?

Isilda Gomes – Muito menos turistas, obviamente, porque não vêm os turistas estrangeiros. À partida, o espaço aéreo continuará fechado. Porque senão, seria muito bom recebê-los cá no Algarve. Mas contamos com os turistas portugueses.

Litoralgarve – E espera mais portugueses?

Isilda Gomes – Exatamente. E esperamos que eles se sintam confiantes para vir para o Algarve.

Litoralgarve – Será possível haver bares e discotecas em funcionamento no Verão?

Isilda Gomes (lacónica) – O governo é que vai ter de dizer.

Litoralgarve – Mas gostaria? Fazem falta à retoma económica?

Isilda Gomes – Neste momento, não me pronuncio sobre isso.

No IMT (Imposto Municipal sobre a Transmissão de Imóveis), que é do qual temos tido uma grande receita, vamos levar naturalmente uma grande pancada”

Edificio da Cm Portimão

Litoralgarve – Qual é o impacto financeiro ao nível de impostos como IMI (Imposto Municipal sobre Imóveis), IMT (Imposto Municipal sobre a Transmissão de Imóveis) e IRS (Imposto sobre o Rendimento das Pessoas Singulares), no concelho de Portimão, devido à pandemia?

Isilda Gomes – Neste momento, não temos esses dados. Só se pode aferir no final do ano. Vamos ter uma grande quebra, como é óbvio. No IMI, não, porque é fixo. Agora, no IMT, que é do qual temos tido uma grande receita, vamos levar naturalmente uma grande pancada.

“Se as pessoas se portarem desta forma, usando a máscara e garantirem o distanciamento social, não temos razão para estarmos com receio”

Litoralgarve – Como decorreu o estado de emergência em Portimão?

Isilda Gomes – Foi cumprido. As pessoas não saíam à rua. Portaram-se de uma forma exemplar. Sinto muito orgulho porque, de facto, toda a gente interiorizou que a nossa saúde está primeiro. A nossa e a dos outros também.

Litoralgarve – Tem dito que as pessoas em Portimão andam muito à-vontade, após o estado de emergência. Que apelo pretende deixar nesta fase de desconfinamento gradual, agora com o estado de calamidade?

Isilda Gomes – O meu apelo é que garantam as medidas de segurança que são emanadas pela Direção-Geral da Saúde. É fundamental o uso da máscara, a distância de segurança. Se as pessoas se comportarem desta forma, usando a máscara e garantirem o distanciamento social, não temos razões para estarmos com receio. Temos de retomar a nossa atividade e estaremos todos preparados para isso.

Não tenho nenhum problema em andar sempre de máscara”

Litoralgarve – Que sensação lhe dá andar de máscara num supermercado e noutros espaços interiores?

Isilda Gomes – Já me adaptei, já me habituei. E já não sou capaz de sair sem máscara. Portanto, já começa a fazer parte do meu dia-a-dia e da minha indumentária normal. Se no início me fez imensa confusão, neste momento já é uma coisa absolutamente natural. Não tenho nenhum problema em andar sempre de máscara.

Litoralgarve – E usa luvas?

Isilda Gomes – Quando vou ao supermercado, ponho luvas. De resto, normalmente não uso.

Litoralgarve – O uso de máscara poderá provocar um problema de insegurança, com o aproveitamento para assaltos? Receia essa situação?

Isilda Gomes (de pronto) – Não! Somos uma região muito segura. Temos forças e serviços de segurança muito ativos, muito assertivos. Esses problemas não existem, nem no Algarve, nem em Portimão. Felizmente, somos um país extremamente seguro. 

Litoralgarve – Qual é exatamente o número de infetados com Covid-19 e de recuperados no concelho de Portimão?

Isilda Gomes – Os números corretos são: 36. Estão 33 doentes recuperados e três ainda infetados, cujo teste, portanto, ainda dá positivo. De facto, temos tido uma recuperação extraordinária. Tem sido um trabalho muito bom por parte dos nossos profissionais da área da saúde, a quem agradeço. O seu papel tem sido fundamental.

Entrevista de José Manuel Oliveira

Deixe uma resposta