Entrevistas

CARLOS TENDEIRO, GUARDA-NOTURNO EM LAGOS, AO LITORALGARVE: “O USO GENERALIZADO DE MÁSCARAS E LUVAS PODERÁ DIFICULTAR A IDENTIFICAÇÃO DE QUEM PRATIQUE CRIMES”

Em entrevista ao ‘Litoralgarve’, o presidente da Direção da Associação Sócio-Profissional dos Guardas-Noturnos, Carlos Tendeiro, guarda-noturno em Lagos, deixa alertas a quem “detete algum tipo de movimentação estranha”, numa altura em que “deixou de ser estranho ver alguém com a parte da cara coberta e com luvas latex, seja nas mãos ou nos bolsos”. Diz que “esta pandemia veio mudar muita coisa” e espera o próximo Verão “atípico e cheio de incertezas”

Litoralgarve – O uso de máscaras e de luvas, devido à Covid-19, poderá contribuir para assaltos, violência e outro tipo de criminalidade? Que alertas pretende deixar?

Carlos Tendeiro – O uso generalizado de máscaras e luvas poderá dificultar a identificação de quem pratique crimes, pois deixou de ser estranho ver alguém com a parte da cara coberta e com luvas de latex, seja nas mãos ou nos bolsos. Sempre que alguém detete algum tipo de movimentação estranha não deve hesitar em contactar com as forças de segurança ou com o seu Guarda-Noturno.

“Nunca devemos deixar que alguém que não conhecemos chegar muito perto, evitando ou dificultando assim um possível ataque”

Litoralgarve – O que deverá fazer uma pessoa ao ser abordada por alguém de máscara e que não conheça? Que cuidados deve ter?

Carlos Tendeiro – Os cuidados devem ser os mesmos do passado, mas de acrescentar a distância recomendada pela DGS (Direção-Geral da Saúde), o que é aconselhável mesmo sem ser neste estado de calamidade, pois nunca devemos deixar que alguém que não conhecemos chegar muito perto, evitando ou dificultando assim um possível ataque.

“O estado de emergência veio tornar as noites desertas” em Lagos. Com o estado de calamidade, “o movimento voltou às ruas”

Litoralgarve – Como foram as noites em Lagos durante o estado de emergência?

Carlos Tendeiro – Foram noites calmas, o estado de emergência veio tornar as noites desertas, sendo que qualquer movimentação acabava por ser alvo de verificação. A PSP de Lagos tem feito um trabalho excecional, com um reforço efetivo de meios na rua.

Litoralgarve- E como estão a ser as noites nesta fase do estado de calamidade?

Carlos Tendeiro – Nesta fase em que estamos, o movimento voltou às ruas, claro está, mais moderado em virtude de não haver bares abertos. Mas notou-se muito a diferença.

“Será um Verão atípico e cheio de incertezas, esta pandemia veio mudar muita coisa”

Litoralgarve – Como perspetiva o Verão? 

Carlos Tendeiro – Certamente será um Verão atípico e cheio de incertezas, esta pandemia veio mudar muita coisa. Acho que ninguém tem uma resposta à questão.

Litoralgarve – E que problemas sente em Lagos em termos de segurança?

Carlos Tendeiro – Neste momento, ainda não sinto problemas a nível de segurança. Temos uma cidade segura e quando existem picos de criminalidade tem-se conseguido dar uma resposta à altura, pelo que é de reconhecer o esforço de todos os agentes no terreno para que as pessoas, e os seus bens, continuem em segurança.

Autor: José Manuel Oliveira

Deixe uma resposta