Diversos

Lagos deu nome a uma das mais importantes artérias de Ksar El Kebir

No passado dia 8 de novembro, o presidente da Câmara Municipal de Lagos, na qualidade de presidente da Associação Portuguesa de Municípios com Centro Histórico e também em representação do município de Lagos, acompanhado por representantes de vários municípios de todo o país pertencentes àquela associação, deslocou-se a Marrocos no âmbito das comemorações da “Efemeride dos 250 Anos do Abandono da Praça de Mazagão”, as quais integraram uma visita a Arzila, Alcácer Quibir (Ksar El Kebir), El Jadida e Azamor.

O evento, organizado pela Associação Portuguesa dos Municípios com Centro Histórico, da qual Lagos assume a presidência, teve ainda como objetivo afirmar a figura dos centros históricos luso-marroquinos como um património comum de valor significativo, o qual importa manter e preservar.

A visita teve também enquadramento no âmbito do Protocolo de Geminação que a cidade lacobrigense tem desde março de 2018 com Alcácer Quibir.

O momento alto da visita foi a inauguração da toponímia da Avenida de Lagos, substituindo a designação da antiga “Avenue de la Municipalité”, uma das artérias mais importantes de Alcácer Quibir. A placa toponímica foi descerrada pelos presidentes das duas edilidades, Hugo Pereira e Mohamed Simou e pela Embaixadora de Portugal no Reino de Marrocos, Dra. Maria Rita Ferro, contando também com a presença da vereadora Sara Coelho, do secretário da Assembleia Municipal de Lagos, José Jácome, e vários membros do Conselho Municipal de Alcácer Quibir.

A visita foi particularmente importante no contexto do Protocolo de Geminação, pela importância dada pelas duas partes ao estreitamento das relações de amizade e cooperação entre os dois municípios, considerando que estes estão inequivocamente relacionados pelo seu passado comum e de enorme relevância para ambos.

Foi ainda visitada a antiga casa do alcaide Ibrahim Soufiani, onde o corpo do Rei D. Sebastião esteve sepultado durante cerca de quatro meses à guarda do fidalgo Belchior do Amaral, antes de ser entregue às autoridades portuguesas em Ceuta, e para a qual se encontra em elaboração o projeto do Centro de Interpretação da Batalha de Alcácer Quibir, coordenado pelo técnico da Câmara Municipal de Lagos, Arquiteto Frederico Paula, que deu uma explicação sucinta do mesmo, e contando com a colaboração científica dos investigadores do CHAM-Centro de Humanidades da Universidade Nova de Lisboa, Maria Augusta Lima Cruz e Luís Costa e Sousa, entre outros.

O Acordo de Geminação tem como objetivo principal o desenvolvimento de vínculos permanentes entre ambos os municípios, conducentes ao aprofundamento do conhecimento das identidades culturais locais, em termos de tradições, costumes, memória histórica e património, ao intercâmbio de atividades e eventos culturais, patrimoniais e artísticos e à participação conjunta em projetos de interesse comum.

Autor: Câmara Municipal de Lagos

Deixe uma resposta