Diversos

“A Escola deve ensinar os alunos a pensar ou como pensar?” – questão posta no Encontro de 5ª Feira

“A nova disciplina de Cidadania pode ser boa ou não…”

Decorreu na Biblioteca Municipal Dr. Júlio Dantas, mais um dos Encontros de 5ª Feira do Grupo dos Amigos de Lagos, desta vez e por ser começo de um novo ano escolar, acerca de “a Escola de Lagos ao serviço dos Alunos”.

Integrado no ciclo “Viver em Comunidade”, o Encontro abordou algumas questões organizativas e práticas, como o peso das mochilas e a elaboração dos trabalhos de casa. Há a evidência de que os alunos muitas vezes não precisam de levar tantos livros na sacola – acontece por falta de cuidado – e os TPC nem sempre são necessários nem fastidiosos. Os professores dispõem de soluções pedagógicas ajustadas aos níveis e assuntos, podendo alcançar até soluções personalizadas.

A resposta a necessidades educativas específicas e o apoio psicológico na escola, vocacional e educacional, são áreas consideradas ainda insuficientes ao nível de recursos humanos disponibilizados. Muitas queixas em relação às escolas acabam resolvidas pela intervenção dos pais, individual ou associativamente, pelo que o nível de participação destes é um aspeto crítico a ter em conta.

Mormente a propósito da disciplina de Cidadania e Desenvolvimento recentemente introduzida, que tanto pode ser útil, para atenuar o défice cívico, como muito má, se servir para passar ideologias na escola, como já se confirmou por casos conhecidos. São doze anos de escolaridade a falar de direitos humanos, interculturalidade e outros assuntos, focados mais em valores sociais, sendo menorizados valores individuais e ignorada a cidadania étnica. Revela a vontade de criar o «homem novo» ao serviço duma mundivisão global… e a escola certamente não é neutra… Por tal, as famílias não podem abdicar do seu direito natural à educação.

Autor: CC

Deixe uma resposta