Politica

3.ª CONFERÊNCIA DAS MULHERES DO CDS ALGARVE

Teve lugar ontem dia 12/07/2019 mais um evento promovido pela Conferência das Mulheres do CDS ALGARVE, projecto criado pelas Presidentes das Concelhias de Olhão e Loulé, Ana Paula Artur e Isilda Guerreiro, respectivamente.

Este evento realizado em Albufeira no Aldeamento Turistico Villas d’Água, organizado pelo grupo, com especial colaboração das concelhias do CDS de Albufeira, na pessoa da sua presidente Mónica Ferreira e da Concelhia de Faro, com a participação da Ligia Santos, juntou numa sala cheia militantes, simpatizantes do partido e membros da comunidade, tendo reunido um grupo de oradores de várias áreas que deram o seu contributo ao tema, nomeadamente, as psicólogas Ana Miranda, e Ana Filipa Augusto, a Dra Cristina Miguel, advogada com vasta experiência no temática, e também o Tenente Coronel Victor Calado, que prestou o seu contributo através da sua vasta experiência enquanto agente da autoridade.

Esteve presente também o Dr João Rebelo candidato pelo Algarve nas próximas legislativas.

Este evento, para além da abordagem do tema numa visão diferenciada do habitual, com referência aos vários tipos de violência e de vitimas, também teve a componente social, habitual destas conferências da Mulheres do CDS Algarve, em que foi realizada a angariação de fundos através do contributo de parte do pagamento do jantar dos convidados, sendo que foi escolhida para receber esse contributo a associação C.A.S.A. (Centro de Apoio ao Sem Abrigo) Delegação de Albufeira, que lida diariamente com esta temática na área da sua intervenção, porque inevitavelmente muitas das vitimas de violência doméstica, se tornam sem abrigo para fugir da situação em que vivem, sendo que esteve presente também a sua coordenadora Sónia Pinto para apresentar o trabalho desta associação.

Esperamos desta forma ter contribuído para ajudar desmistificar a temática da Violência Doméstica que é um flagelo da nossa actualidade, e também ajudar uma associação que tanto necessita, que até há bem pouco tempo sobrevivia apenas do trabalho de voluntariado, pois o nosso dever enquanto cidadão é a ajudar a criar uma sociedade melhor.

Autor: CDS/ Loulé

Deixe uma resposta