Cultura

Homenagem ao acordeão e aos acordeonistas Lacobrigenses

A Assembleia Municipal de Lagos na sua Sessão Ordinária de fevereiro/2019, realizada no dia 25 de fevereiro, aprovou uma Recomendação, no sentido de ser homenagiado o acordeão e ao acordeonistas Lacobrigenses.

“Pode dizer-se que o instrumento musical que identifica o Algarve é o acordeão, que é o instrumento principal do nosso folclore, indispensável nos arraiais, bailes mais típicos e Ranchos Folclóricos, tendo como a expressão maior a dança do corridinho algarvio.

Em Lagos, o acordeão tem tido um papel relevante de longa data como expressão da tradição musical local e grande fator da sua divulgação, com destaque para notáveis executantes e compositores lacobrigenses que levaram a nossa música pelo País fora e além-fronteiras.

Além dos artistas locais como Manuel Major, António da Chã, Marralheiro, Duarte Ribeiro, António Sagreiro e outros da nova geração, destacam- se os nomes de:

– ANATÓLIO FALÉ, concertista em acordeão e viola, professor de Educação Musical e compositor de numerosos trabalhos registados em Portugal na Biblioteca Nacional, na Sociedade Portuguesa de Autores e em editoras estrangeiras.  Compôs e executou MÚSICAS para Teatro, Rádio e Cinema, fundou uma Escola de Música por Correspondência e é autor dum Método de Solfejo em 8 volumes, um Método de Acordeão em 20 volumes e um Curso de Viola Moderna em 3 volumes.

– ANTÓNIO MESTRE, famoso acordeonista lacobrigense, iniciou os estudos musicais quando criança emigrado com a família em França, começando por vencer um concurso internacional de acordeonistas em Paris. Regressado a Portugal em 1939, António Mestre prosseguiu a carreira de músico como executante e compositor, obtendo grande sucesso em teatro de revista e acompanhando artistas famosos da época, como Amália Rodrigues, Hermínia Silva, Irene Isidro, Laura Alves, Mirita Casimiro, Costinha, Vasco Santana e participou no filme Aniki-Bobó. Fez digressões por países estrangeiros, fixando-se no Brasil, onde conseguiu notável prestígio tocando música portuguesa no seu restaurante O Corridinho em Copacabana e na TV Tupi, com o seu programa Viajando Com António Mestre. Como compositor, registou 31 obras na Sociedade Portuguesa de Autores, entre as quais O Corridinho de Lagos.

– TINO COSTA, estudou música, acordeão e órgão na Academia Universal de Acordeão, com Anatólio Falé, tem atuado em Portugal e no estrangeiro em espetáculos de variedades, festivais de acordeão e programas de Rádio e TV. Tem editados mais de 55 singles, 8 LP’s e vários CD’s e cassetes. Tino Costa participou por três vezes como concertista e uma como presidente do Júri nos Prémios Internacionais de Acordeão em Castelfidardo, onde recebeu também o Prémio Consagração de Carreira e no XI Encontro Europeu de Acordeão em Chartres. Foi ainda sócio fundador da MITO, Associação dos Acordeonistas do Algarve, com sede em Altura, Castro Marim, onde recentemente atuou.

No intuito de reconhecer a importância e o significado da música de acordeão em Portugal e no Algarve, assim como o prestígio alcançado pelos acordeonistas algarvios, em que se destaca a qualidade da participação de lacobrigenses e como  merecida homenagem à sua atividade de promotores e divulgadores deste instrumento, da nossa música e do nosso Concelho e ainda como incentivo às novas gerações de acordeonistas.

A Assembleia Municipal Lagos, reunida a 25 de fevereiro de 2019, delibera recomendar à Câmara Municipal de Lagos:

– 1. A organização de um evento internacional anual ou bienal, em formato de Festival, Concurso ou Encontro, dedicado à música de acordeão, premiando os seus executantes.

– 2. Solicitar a colaboração da Mito, Associação de Acordeonistas do Algarve, para trazer a Lagos a sua exposição Alm’Algarvia, dedicada ao acordeão.

– 3. Dar conhecimento desta deliberação à comunicação social.”

Autor: Assembleia Municipal de Lagos

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *