Cultura

LOULÉ CRIATIVO ALARGA REDE COM OFICINAS DE RELOJOEIRO E DE CORDOFONES

São inauguradas este sábado, 15 de dezembro, pelas 10h30, dois novos espaços que vêm reforçar a rede de oficinas do projeto Loulé Criativo – a Oficina de Relojoeiro e a Oficina de Cordofones (instrumentos musicais de corda).

A Câmara Municipal de Loulé, através do Loulé Criativo, tem vindo a apostar na valorização de saberes associados a atividades artesanais que contribuíram para a construção da identidade do Concelho, revitalizando uma série de espaços que, em conjunto, dão corpo a uma rede de oficinas onde a tradição se alia à inovação. Nesta ótica, encontram-se em funcionamento na cidade de Loulé a Casa da Empreita, a Oficina de Caldeireiros e a Oficina do Barro.

Estas oficinas têm como objetivo a salvaguarda e valorização de saberes e ofícios tradicionais ao mesmo tem que fomentam a produção, execução e comercialização de peças, apoiando e valorizando os artesãos e a produção local. Por outro lado, é também objetivo da rede dinamizar experiências e cursos de pequena duração nas várias áreas de intervenção.

Quase caído em extinção, o ofício de relojoeiro foi agora recuperado pela autarquia através do apoio à instalação e abertura da Oficina de Relojoeiro – espaço a funcionar no edifício do Solar das Palmeiras – onde o experiente mestre relojoeiro José João Guerreiro desenvolve a sua arte, efetuando manutenções, arranjos, mas também transmitindo os seus conhecimentos e ensinando os segredos do ofício aos potenciais interessados.

Loulé tem uma imensa tradição de cultura musical, tendo como principal palco o Cine-Teatro e dispondo agora do recém-inaugurado Conservatório de Música de Loulé – a primeira escola pública dedicada ao ensino de Música na zona Sul do país e que integra um auditório. Implementada no centro da cidade, no edifício Solar das Palmeiras, funciona a Oficina de Cordofones, onde o luthier Manuel Amorim se dedica à construção e reparação de instrumentos musicais de corda, que vão desde guitarras portuguesas, guitarras clássicas, violas campaniças, cavaquinhos, bandolins, violoncelos, etc.

A formação e o estabelecimento de parcerias com as escolas é uma das apostas do espaço. Mostrar às novas gerações todo o processo de fabrico, as ferramentas envolvidas, os diferentes tipos de madeira, bem como a história dos instrumentos é outro dos objetivos com vista ao fomento do gosto pela atividade e à promoção da sua continuidade.

As novas oficinas irão funcionar de segunda a sexta-feira, das 9h30 às 13h e das 14h30 às 17h30.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *