Cultura

LOULÉ VAI SER A CAPITAL MUNDIAL DO ACORDEÃO EM 2019

A pouco mais de um ano da realização do 69º Troféu Mundial do Acordeão, o evento, que em 2019 irá transformar a cidade de Loulé no palco mundial deste instrumento, foi apresentado esta quarta-feira, no Salão Nobre dos Paços do Concelho.

De 3 a 9 de novembro de 2019, Loulé acolherá esta iniciativa que nasce de uma organização conjunta da Confederação Mundial de Acordeão, do Município de Loulé, com coordenação nacional de Gonçalo Pescada, conhecido acordeonista, professor, doutorado (o primeiro em Portugal) em acordeão e delegado desta Confederação, e ainda Francisco Saboia, promotor há cerca de três décadas de certames internacionais de acordeão.

Depois de Faro (1996), Albufeira (2009) e Portimão (2016), este Troféu Mundial regressa ao Algarve, terra com fortes raízes ligadas ao acordeão e que tem visto, nos últimos anos, o aparecimento de jovens talentos. Como explicou Gonçalo Pescada, perante a apresentação de outras candidaturas de vários países como a China, Índia ou Sérvia, a escolha de Loulé teve a ver com “a excelente capacidade para organizar eventos, o clima, o bem receber” mas também por reunir condições para acolher um evento como este, nomeadamente “a proximidade do Aeroporto Internacional de Faro, a excelente qualidade acústica do Cine-Teatro Louletano e a forte aposta da equipa municipal nas áreas da Educação e da Cultura”.

Também a diretora municipal de Loulé, Dália Paulo, apontou esse desiderato da Autarquia como decisivo para que Loulé seja a cidade anfitriã deste Troféu Mundial. “Do ponto de vista cultural, faz todo o sentido, precisamente no ano em que inaugurámos a primeira escola de música pública a Sul do Tejo. Temos cerca de 500 alunos a aprender música no Concelho de Loulé, 300 na escola pública e 241 nos cursos livres da escola da Sociedade Filarmónica Artistas de Minerva”, sublinhou.

Nesta 69ª edição, serão mais de 200 os concorrentes em representação de 50 delegações de todo o mundo que vão estar em Loulé para um evento que será uma montra da nata mundial do acordeão e que irá aproximar os algarvios destes valores internacionais.

“A Confederação Mundial vai distinguindo os melhores acordeonistas de cada país. O Acordeão é um instrumento muito jovem, em comparação com o piano e o violino, muito recente, e essa juventude dá-lhe uma grande criatividade e grande liberdade para criar. É por isso que o Troféu Mundial é um concurso sempre em evolução, possibilitando que esse instrumento se transforme cada vez mais e surjam novas obras, novo repertório”, explicou o presidente da Confederação Mundial de Acordeão, Frédéric Deschamps.

A prova irá integrar as seguintes categorias: Clássica – Sénior, Júnior e Master; e Ligeira – Sénior, Júnior, Sénior e Júnior de Música de Câmara, Acordeão Digital, Jazz. Por outro lado, haverá ainda um concurso paralelo com categorias para as crianças mais novas. Será igualmente lançado o desafio a todos os que queiram apresentar propostas para novas categorias neste Troféu aplicadas à região.

Todas as noites, os concertos de gala e as provas realizadas são transmitidos em direto no canal da Confederação Mundial na internet e todas as categorias são transmitidas através do facebook live, de forma a promover o evento em todo o mundo.

Este é mais um dos eventos de carácter internacional que a Câmara Municipal de Loulé acolhe e que, como referiu o seu vice-presidente, Pedro Pimpão, “contribuirá para fortalecer a economia local durante a época baixa do turismo”.

Refira-se que o Troféu Mundial de Acordeão é o concurso de maior prestígio a nível internacional, fundado em 1951 pela Confederação Mundial de Acordeão. No que diz respeito aos vencedores das anteriores edições, esta competição tem tido um vasto leque de premiados oriundos de Países de Leste, nomeadamente, da Rússia. Nos últimos anos, a China tem aparecido num lugar de destaque como país emergente. A França, Itália e Sérvia integram também o núcleo de países com candidatos de grande qualidade. Em Portugal,  aparecem nomes como Aníbal Freire, José António Sousa, António Rosado, Arlinda Morais, João Frade, João Barradas e, mais recentemente, Luís Mira que tiveram o privilégio de vencer este concurso.

O Júri deste Troféu Mundial é composto pelos melhores professores, compositores e artistas internacionais.

Candidatura a Património Imaterial da UNESCO

Durante a apresentação do 69º Troféu Mundial de Acordeão, Dália Paulo lançou o desafio aos presentes, particularmente ao acordeonista Gonçalo Pescada, para que após a realização deste evento possa ser preparada uma candidatura do Acordeão à classificação de Património Imaterial da Humanidade pela UNESCO, um sonho antigo da comunidade de acordeonistas algarvios.

“Gostava que esta quarta edição realizada no Algarve pudesse atrair algo maior, tornar o acordeão Património Imaterial da Humanidade. É um desejo da região há muito tempo mas é preciso trabalho, é preciso constituir uma equipa. Loulé, pelo trabalho que tem na área da música, desafia aqui Gonçalo Pescada, um dos nossos acordeonistas, a liderar um processo destes, apoiado pelas entidades públicas. Seria muito interessante se no final deste evento pudéssemos anunciar esse ponto de partida de trabalho”, considerou a diretora municipal de Loulé.

Salientando o facto desta candidatura poder constituir também “uma homenagem aos grandes acordeonistas da região”, Dália Paulo acredita que a realização deste Troféu, bem como todo o trabalho que as associações e escolas no Algarve estão a fazer nesta área, constitui “uma oportunidade de dar mais visibilidade e fazer uma candidatura”.

Até porque o acordeão tem futuro, como sublinhou Francisco Saboia, pela “imensidão de professores e muitos jovens a aprender”, e Gonçalo Pescada, que acredita que “Portugal continuará a dar cartas a nível internacional”.

Auotr: Câmara Municipal de Loulé

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *