Diversos

Equipamento de diversão com trampolins no adro da igreja provoca polémica na Praia da Luz

Continua a provocar polémica na Praia da Luz, no concelho de Lagos, a colocação no adro da igreja de um equipamento de diversão com quatro estruturas para trampolins, utilizado geralmente por crianças e jovens e que funciona todos os dias das 16h00 às 23h00, sob a orientação de um técnico.

“Não está em causa o equipamento em si, mas a sua localização neste local. O padre não foi tido nem achado e é lamentável o que se passa nesta terra onde existem interesses e negócios por detrás disto”, desabafou um residente, ouvido pelo «Litoralgarve» e que já pertenceu à Comissão de Festas da Paróquia da Praia da Luz. “Penso que não será uma situação digna haver uma estrutura de diversão, com pessoas aos pulos, como é o caso, enquanto decorre uma celebração religiosa ou uma cerimónia fúnebre”, notou o popular, solicitando a anonimato “para evitar problemas”.

O equipamento, explorado por uma empresa e que pode ser utilizado durante cinco ou dez minutos pelo preço de três e cinco euros, respectivamente, funciona durante o Verão e serve também de apoio à Comissão de Festas da Paróquia da Praia da Luz. Junto à igreja, na Avenida os Pescadores, esta organização conta com ‘stands’ de comidas e bebidas, entre outros, para um programa de animação, o qual incluiu marchas populares e bailes, de 20 a 22 de julho, a que se seguirão outras festividades de 10 a 13 de agosto e nos dias 01 de 02 de setembro.

“ANDA POR AÍ MUITO FALATÓRIO. NÃO É PIOR DO QUE O ‘CASO MADDIE’ “, DIZ PAROQUIANA

Na Igreja da Senhora da Luz, uma paroquiana disse ao ‘Litoralgarve’: “anda por aí muito falatório. Não é pior do que o ‘caso Maddie'”. Lembrou, assim, a imensa repercussão mediática a nível mundial causada pelo desaparecimento de Madeleine McCann , a menina inglesa de três anos, na noite de 03 de Maio de 2004, de um apartamento do ‘resort’ turístico «The Ocean Club», situado na Praia da Luz, onde dormia com os dois irmãos gémeos, enquanto os país, de férias, jantavam com amigos a poucos metros no restaurante deste empreendimento. Uma incógnita que se mantém, apesar das múltiplas investigações das autoridades portuguesas, britânicas e de outros países, obrigando ao dispêndio de milhões de euros.

DIOCESE DO ALGARVE EXPLICA AUTORIZAÇÃO

Em resposta por escrito, no dia 24/07/2018, a um ‘email’ enviado pelo ‘Litoralgarve’, o Director do Gabinete de Comunicação da Diocese do Algarve, padre Miguel Neto, após referir que “na medida do possível, venho responder às questões solicitadas”, confirmou, de forma sucinta: “a Paróquia da Luz de Lagos tem conhecimento da instalação deste equipamento.”

Quem autorizou e com que objectivo? “A Paróquia da Luz de Lagos autorizou a instalação deste equipamento a fim de servir de animação nas múltiplas festas de Verão organizadas até setembro”, respondeu aquele responsável da Diocese do Algarve. E reagindo ao facto de o equipamento estar instalado num espaço religioso, o padre Miguel Neto observou: “É normal durante o período do Verão haver, um pouco por todo o país, várias romarias e festas de Verão de cariz popular e religioso, onde diversos tipos de equipamentos lúdicos ou de apoio logístico são instalados ao redor das igrejas do nosso Portugal. Há um pouco de tudo. Desde as carrinhas de comes e bebes, até a alguns carrosséis sobretudo destinados ao divertimento das crianças. Faz parte da nossa cultura popular. Certamente, a instalação deste equipamento insere-se dentro deste espírito.”

 EX-AUTARCA DA LUZ E MEMBRO DA COMISSÃO DE FESTAS DA PARÓQUIA ACUSA “MEIA DÚZIA DE INGLESES QUE QUEREREM SER DONOS DISTO»

Já o ex-presidente da Junta de Freguesia da Luz e membro da Comissão de Festas da Paróquia, Victor Matta, em declarações ao ‘Litoralgarve’ foi peremptório ao lamentar a polémica no ‘Facebook’ suscitada “por meia dúzia de pessoas, sobretudo inglesas”, devido à instalação daquele equipamento com trampolins no adro da Igreja, a funcionar em apoio à animação de Verão nesta localidade turística do concelho de Lagos.

“Protestam o quê? Não se entende. É o visual? É algum monstro que tira a vista a alguém? O que incomoda?” – questionou Victor Matta, para quem “o que se passa é inveja em vez de enaltecerem.”

Sem papas na língua, foi ao ponto de chamar “pessoas ranhosas” aos “contestatários ingleses” pela instalação deste equipamento de diversão. “O problema dessas pessoas tem a ver, nomeadamente, com casamentos e missas em que querem estar à vontade. O equipamento só funciona das 16h00 até às 23h00 e não perturba quem quer que seja. De resto, a Comissão de Festas da Paróquia da Praia da Luz reuniu-se com o senhor padre e foi autorizada a instalação no adro da Igreja”, observou. Só que, acusou Victor Matta, “os ingleses querem ser os donos disto. E quando pedimos cinco euros ou qualquer coisa para apoiar uma festa ninguém quer contribuir. Depois, ficam chateados quando se leva a efeito alguma iniciativa nesta terra.”

“HÁ PROTESTOS POR QUALQUER COISA. A INVEJA É IMENSA”

Mas as críticas não ficam por aqui. “Até para formar marchas populares na Praia da Luz, a maioria dos elementos teve de vir de Cascais”, recordou. “Os miúdos aqui não têm um parque para se divertirem e agora que uma empresa decidiu instalar durante o Verão um equipamento de animação junto à Igreja, já que um outro espaço situado ao lado funciona agora como parque de estacionamento do Restaurante Fortaleza, surgem protestos. É lamentável! Se o equipamento tivesse sido instalado noutro local, também haveria protestos. Há protestos por qualquer coisa. A inveja é imensa. Pedimos apoio para instalar passadeiras em várias ruas com o objectivo de facilitar a mobilidade de pessoas já idosas, mas ninguém quis ajudar”, concluiu, revoltado, Victor Matta.

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *